O livro infantil que faz pensar sobre uso excessivo do celular

Click Plock conta a história de uma menina que tem a mania de tirar fotos de tudo com o seu celular. Mas um dia, uma coisa muito estranha aconteceu…

A partir desse contexto, a narrativa propõe, de forma lúdica e divertida, uma reflexão sobre o uso excessivo desse tipo de aparelho — usando apenas duas palavras.

O primeiro livro infantil escrito e ilustrado pelo autor das tirinhas Téo & O Mini Mundo.

Para crianças de todas as idades.

A ideia de Click Plock nasceu no momento em que eu percebi que passava tempo demais no celular.

Essa percepção me fez refletir sobre a minha relação com as telas e me desafiou a tornar essa conversa possível também para as crianças.

Ser escritor e ilustrador de livros infantis era meu sonho de menino.

Esse sou eu criança:

Naquela época eu costumava criar livrinhos com papel sulfite e grampeador.

Mesmo depois da criação do Téo & O Mini Mundo, essa vontade nunca foi embora.

Agora, chegou a vez de ela ganhar vida.

Veja neste link como você pode garantir o seu exemplar, ganhar recompensas e me ajudar a trazer essa história para o mundo.

Metas

META INICIAL: R$ 14803 = Publicaremos o livro

1ª META ESTENDIDA: R$ 18.000 = Publicaremos o livro com capa dura

2ª META ESTENDIDA: R$ 20.000 = Doaremos 100 exemplares para bibliotecas públicas

3ª META ESTENDIDA: R$ 25.000 = Enviaremos um marcador de páginas exclusivo

4ª META ESTENDIDA: R$ 30.000 = Enviaremos uma cartela de adesivos com personagens do livro

Recompensas*:

– Exemplares autografados do livro Click Plock (aproximadamente 48 páginas coloridas, tamanho A4)

– Seu nome nos créditos

– Formato digital em PDF

– Exemplares da coleção Téo & O Mini Mundo

– Fanzine com as tirinhas sobre a origem de Click Plock (tamanho a ser definido)

– Pôster com cenas de Click Plock (tamanho A4, colorido)

– Pinturas em aquarela da protagonista do livro feitas a mão e com dedicatória (tamanho 15 x 15 cm)

* Consulte os pacotes de recompensas no painel lateral da página do projeto no Catarse.

Cada pacote tem um valor fixo de frete, informado após a seleção do apoio.

Fotos

Uma câmera na mão 24 horas por dia e uma vontade de fotografar tudo.

Resultado: milhares de fotos guardadas.

E vejo as fotos depois?

Quase nunca.

A maioria cai num limbo e ali fica para o resto da vida.

O limbo é o Google Photos.

É lá que todas as imagens que eu tiro com o celular vão parar.

O upload é automático.

Enquanto armazena minhas fotos, o Google aprende sobre mim.

Conhece meus gostos, com quem convivo, por onde andei.

O Grande Irmão sabe tudo sobre nós.

Em troca, tenho armazenamento e serviço de busca.

Quando raramente preciso achar algo específico, digito no próprio Google Photos.

“Flores”.

Aí aparecem referências de flores que eu já fotografei.

Fiz isso ontem, aliás.

Estava em busca de uma foto para a aula de aquarela desta manhã.

Achei esta:

E pintei essa cena:

As fotos são úteis para a pintura.

Quando comecei a estudar aquarela, tudo o que encontrava pela rua era referência para pintar.

Velhinho sentado, árvore, carro antigo, estrada, vaca, cachorro, bicicleta, homem carregando um tanque de lavar roupa atravessando a rua Augusta. 

Click! Click! Click!

Foi aí que eu virei um acumulador de fotos.

Um dia pensei: vou levar uns 700 anos para pintar isso tudo.

Melhor desacelerar.

Feito.

Ainda tiro fotos, tudo bem, mas menos.

Hoje fico olhando longamente para uma cena real que antes eu registraria com o celular.

É como se a cena fosse a própria foto.

É um exercício de prestar atenção.

De estar presente.

E quando eu saio com o celular desligado, aí é que não tenho outra escolha senão apreciar.

Foi a partir dessa reflexão que surgiu a ideia do Click Plock, meu primeiro livro infantil.

O livro é o marco desta virada.

O início de uma busca por mais equilíbrio.

Uma busca por viver o instante em vez de guardá-lo para ver no futuro quando o presente se tornar passado.

Caetano Cury