Quem foi o filósofo René Descartes? Conheça qual sua importância, filosofia e obras

Conhecido pelos sábios de sua época como grande matemático e filósofo, Descartes estabeleceu novas direções de pensamento. Descubra mais neste artigo.

Talvez você saiba pouco sobre quem foi o filósofo René Descartes ou talvez não conheça nada, mas muito provavelmente já ouviu alguém dizer sua famosa frase: “Penso, logo existo.”

Já ouviu? Ainda neste artigo, mostrarei como Descartes chegou a essa conclusão. Por agora, vamos destacar outra fala de Descartes pouco conhecida, mas que traduz bem seu pensamento filosófico:

“Se quiser buscar realmente a verdade, é preciso que pelo menos um vez em sua vida você duvide, ao máximo que puder, de todas as coisas.”

Como essa declaração soa para você? Como assim duvidar das coisas para chegar na verdade?

A seguir, descubra quem foi o filósofo René Descartes e qual sua filosofia.

Quem foi o filósofo René Descartes?

René du Perron Descartes (mais conhecido como René Descartes), além de filósofo, era matémático e físico. Também é considerado o criador do sistema filosófico que originou a Filosofia Moderna, isto é, o pensamento cartesiano.

Descartes nasceu em 31 de março de 1596, em La Hayne, atualmente conhecida como Descartes. Filho de advogado e juiz, estudou no colégio mais prestigiado na França daquela época: Colégio Jesuíta Royal Henry.

Embora tenha se formado em Direito, Descartes não chegou a exercer a profissão. Em 1617, entrou para o exército, período em que se envolveu em descobertas matemáticas ao lado de Isaac Beeckman. A partir dos 22 anos, começou a formular a geometria analítica e o método para racionar corretamente.

Lembra do Plano Cartesiano que você possivelmente estudou na escola? Pois bem, ele é um conceito científico fruto dos estudos de Descartes. Veja outras contribuições que ajudarão você a conhecer mais sobre quem foi o filósofo René Descartes:

  • sistema de coordenadas cartesianas;
  • disposição estatística em histogramas;
  • cálculo;
  • teoria das refrações da luz através das lentes;
  • explicação empírica do arco-íris;
  • explicação naturalística da formação da Terra e dos planetas;
  • argumentos para a existência de Deus;
  • explicação sobre a linguagem e a criatividade diferenciarem seres humanos de outros animais.

Apesar de escrever O Tratado do Mundo, onde fala sobre a tese do heliocentrismo, desistiu de publicá-la após a condenação de Galileu pela Inquisição.

Leia também: Como aprender filosofia com quadrinhos: as 5 melhores opções + exemplos

Qual a filosofia de René Descartes e sua importância?

Aqui está um ponto crucial para entender quem foi o filósofo René Descartes: ele buscou fazer uma filosofia fundamentada exclusivamente na verdade.

Descartes afirmava que, diferente da filosofia escolástica (bastante fundamentada nas revelações contidas na Bíblia Sagrada), a Matemática era a única que dizia algo e demonstrava esse algo.

Ao contrário do que pregavam na época, Descartes defendia a praticidade da ciência. Sua visão da natureza anulava o significado moral e religioso, não havia espaço para especulações.

Ele mesmo afirmou:

“Não é suficiente ter uma boa mente: o principal é usá-la bem.”

Na época, as academias adotavam a filosofia aristotélica, porém, Descartes a rompeu quando propôs uma ciência unitária e universal. Naquele momento da História, ele lançava as bases do método científico moderno.

Método da Dúvida (ou Dúvida Metódica)

Descartes acredita na existência de uma verdade absoluta e, para conseguir alcançá-la, criou o método da dúvida: questione todos as ideias preexistentes. Ao duvidar de tudo, você finalmente chegaria em algo do qual não se poderia mais duvidar, isto é, algo verdadeiro.

Segundo o método, existem 4 regras para alcançar o conhecimento verdadeiro:

  1. Nada é verdadeiro até ser reconhecido como verdadeiro.
  2. Problemas devem ser investigados e resolvidos de forma metódica.
  3. Considerações devem começar do mais simples para o mais complexo.
  4. Para que nada crucial fique omisso, o processo precisa ser reexaminado do início ao fim.

Ao final de tudo, Descartes concluiu que o ser humano só era capaz de duvidar porque era capaz de pensar, o que tornava a capacidade de duvidar a única verdade possível. E foi dessa conclusão que veio sua famosa frase:

“Penso, logo existo.”

Leia também: Ilusão de controle: o que é + 4 dicas para se livrar dessa percepção distorcida da realidade

A obra de René Descartes

Descartes produziu diversas obras, e a principal delas é o Discurso Sobre o Método (1637), que lançou a base do racionalismo: corrente filosófica que acredita que o conhecimento vem da razão humana.

O Discurso Sobre o Método está dividido em 6 partes:

  1. Considerações sobre as ciências.
  2. Regras do Método.
  3. Regras da Moral Provisória.
  4. Questões metafísicas, como existência de Deus e da alma humana.
  5. Estudos sobre o conhecimento do mundo físico e do corpo humano.
  6. Razões que levaram Descartes a continuar investigando a natureza.

Além dessa, outras obras:

  • Regras para a Direção do Espírito (1628).
  • Princípios da Filosofia (1644).
  • As Paixões da Alma (1649).
  • Descartes: o Mundo ou Tratado da Luz (1664).

Descartes e seu legado

Opondo-se ao falso e buscando pelo conhecimento verdadeiro, Descartes concluiu que os questionamentos são necessários para se chegar a verdade. Do que adianta apenas dizer se não for possível provar racionalmente?

Mesmo tendo vivido apenas 53 anos, a obra de René Descartes repercutiu ao redor do mundo, seja sobre seus estudos de Matemática, Dúvida Metódica, teorias das refrações da luz ou explicações metafísicas.

E aí, gostou de conhecer sobre quem foi o filósofo René Descartes e sua filosofia? Você também pode se interessar por: